Treinamento de Pivôs
Clifford Luyk

Trabalho Específico para Jogadores Altos

Normalmente este jogador é o que começou a praticar o basquete mais tarde.
Na quadra é o jogador que mais exigimos.
Muitos jogadores retardam a saída do contra-ataque pois sabem que se dão a saída rápida não vão tocar a bola novamente.
Ele tem que ir ao rebote ofensivo e é em seguida repreendido se chega tarde à defesa. Exigimos todo o tipo de bloqueios, portanto não recebe a bola, e é bloqueando quando realmente melhor pode receber. Lhe pedimos muitos pontos e lhe pedimos que receba muitas faltas.
Para mim, a jogada mais bonita no basquete é pegar um rebote, dar o passe, correr em contra-ataque por uma lateral do corredor central, chegar à outra cesta, receber ou pegar o rebote ofensivo e enterrar: "que maravilha de jogada!"
Os pivôs devem pedir a bola com a mão aberta e levantada ao máximo.
O rebote é a razão de ser, basicamente, do pivô. Fases do rebote:
1) Bloqueio do adversário no rebote
2) Timing do salto, pegar a bola o mais alto possível.
3) Baixar a bola à altura do queixo e abrir os cotovelos.
4) Cair ao solo em um só tempo.
5) Olhar com rabo de olho enquanto estamos caindo para onde queremos dar o passe.
O trabalho de giros de pivô devem ser treinados, pois são fundamentais para os jogadores altos. Veja exemplos:

POSTE MÉDIO - Jogando de Costas para a Cesta

Figura 1:
1. Recebimento do passe, mantendo a bola na altura do queixo.
2. Finta de corpo ou de passe, deslocando o pé esquerdo na direção do lance livre e mantendo o direito como o pé de apoio.
3. Giro de 180 graus, posicionando o pé esquerdo ligeiramente atrás do direito para arremessar com o braço que arremessa totalmente esticado para o alto (no caso do arremessador destro). O esforço do arremesso depende apenas da mão e da perna


Figura 2:
1. Procedimento conforme figura 1.
2. Finta de arremesso.
3. Um drible baixo e forte seguido de uma passada larga do pé esquerdo para o interior do garrafão.
4. Salto com o pé esquerdo, elevando o joelho direito ao máximo para o arremesso de gancho.


O pivô deve praticar todo tipo de passe, picado e direto, curto, médio ou longo para utilizá-lo corretamente no início do contra-ataque.
O técnico "Daly" nos fala que o basquete se reduz a um "Pick and Roll" = Bloqueio e Continuação.
Aprenda a fazer bloqueio de frente e de costas.
Aprenda a defender o bloqueio dos adversários: saltar o bloqueio, 2x1, Ajuda e Recuperação, Abrir e deixar passar o companheiro, "body-check" = forçar o adversário a mudar de direção utilizando o contato físico.
O bloqueio para o driblador pode gerar tanto um "pick-and-roll" quanto um "back-door" (porta dos fundos).
O bloqueio entre pivôs é extremamente importante e perigoso.
É muito importante realizar os bloqueios corretamente. Não simplesmente ocupar espaços.
O body-check deve ser feito na linha da bola, pois do contrário, o pivô atacante vai se aproveitar dele para receber o passe.
ANTONIO DIAZ MIGUEL
Trabalho com os Homens Altos
Muitas vezes pensamos "se este jogador tão alto tivesse a agilidade de um baixo, como seria ele?"
Devemos enfatizar a importância do treinamento da velocidade de execução dos fundamentos.
Um bom sistema consiste em que os jogadores altos não devem jogar sempre perto da cesta, sobretudo iniciantes.
É importante que os altos mentalizem-se como participantes do contra-ataque e não somente pegadores de rebote. Isto é fundamental para seu desenvolvimento físico, técnico e mental.
A Defesa
Ensinamos três tipos de defesa:
a) por trás
b) pela frente
c) linha de passe três quartos
a) Na defesa por trás, os braços devem encontrar-se bem altos (para que não apitem faltas) ou em todo caso com o antebraço apoiado no atacante. As mãos devem estar abertas e com as palmas na direção da bola. Quando o atacante recebe a bola, o defensor se separa à distância de um braço, porém sem tocar. Assim o atacante não conhece a posição real do defensor.
b) Na marcação pela frente, o defensor mantém o contato com as costas, os braços abertos e erguidos para evitar um passe fácil picado, e com as plamas abertas na direção da bola. Esta é uma posição defensiva muito agressiva que tem a finalidade de que o atacante não receba a bola com relativa facilidade.
c) Na defesa na linha de passe três quartos, o defensor coloca um braço extendido na linha de passe com a plama da mão dirigida à bolasem deixar de ver a ambos, a bola e o atacante.
Quando há um passe do ala ao pivô no poste médio e este tenta ir pela linha de fundo, pressionamos o máximo para que ele vá o mais perto possível da linha, perdendo assim qualquer perspectiva do aro, e buscamos a ajuda do outro pivô defensor, criando uma situação de 2x1, seguindo-se uma rotação de todos os outros defensores.

Veja o diagramas de posicionamento defensivo
Defesa do Poste Médio
Figura 1:
Quando a bola está em posse de 1, defende três quartos pela frente.


Figura 2:
Quando a bola está em posse de 2, defende pela frente, antecipando com o pé esquerdo.


Figura 3:
Quando a bola chega a 3, defende três quartos pela linha de fundo, movendo para isso o pé direito.


Geralmente o bloqueio é realizado por um pivô e um jogador de fora. Neste jogo defensivo é muito importante a sensibilidade "feeling" e a coordenação "timing" entre os defensores.
Meu conselho contra esta jogada é que sejam adotadas somente duas soluções defensivas eficazes: troca e recuperação ou realizar diretamente um 2x1 no driblador, com a conseguinte rotação dos três restantes defensores para fechar o espaço e uma eventual continuação da jogada.
O Ataque
Um dos fundamentos mais importantes para um pivô é o arremesso de gancho.
O famosíssimo exercício "Mikan" compreende o arremesso alternado de um lado e do outro da cesta. O arremessador deve pegar a bola antes que esta caia no solo e aproveitar o mesmo impulso e arremessar pelo lado contrário. Pode-se dizer ao jogador que pode dar um drible antes de cada arremesso.
Para um pivô é importante que domine a realização do bloqueio de rebote; para isto deve impedir o avanço do atacante ao espaço onde cairá a bola com maior probabilidade após bater no aro ou na tabela. Ao pegar a bola não devemos baixá-la sem passá-la o mais rapidamente possível e em boas condições para correr no contra-ataque. Se não se pode passar a bola com velocidade, devemos protegê-la à altura do queixo e com os cotovelos bem abertos para impedir as tentativas de recuperação dos adversários.
Outro fundamento importante é o arremesso na tabela em um ângulo de 45º; é um arremesso muito efetivo que pode ter os mesmos percentuais de acerto das bandejas.
Aspectos importantes:
Receber - buscar uma boa posição para receber a bola;
Proteger -  segurança na posse da bola;
Olhar - conhecer as circunstâncias em que se encontra a defesa e atuar de acordo com ela;
Acalmar - não precipitar-se para não cometer erros.
Há que ter cuidado para não ser sancionado com falta de ataque, porém tembém deve se acostumar que a luta pela posição não é fácil. No caso em que o defensor se antecipe, nos auto-bloqueamos e pedimos a bola por cima, tendo o cuidado com a ajuda do lado contrário.
A soma dos arremessos de nossos pivôs deve ser próxima da soma dos arremessos de nossos alas. Isto significará um bom equilíbrio ofensivo dentro da equipe.
S a defesa pressiona com ajuda os nossos pivôs, estes devem saber passar a bola rápido de volta aos alas; se obrigamos os alas a passar a bola para os pivôs, tabém estes quererão receber bolas dos pivôs.


©